sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Amizade

O que faz duas pessoas se tornarem amigas? A convivência, o tempo em que passam fisicamente juntas, o mesmo gosto musical, gastronômico ou literário, interesses comuns, pessoais ou profissionais, Não é por nada disso, é pela identidade das almas. É pela compreensão da ausência, É por saber valorizar cada e qualquer segundo da companhia, É por respeitar as diferenças, Compreender as vontades, Compartilhar dos sonhos, Apoiar nas decisões. Uma amizade verdadeira é capaz de suportar a convivência e aceitar os defeitos alheios, compreender a ausência seja qual for o motivo, exigir qualidade da sua presença em vez de cobrar quantidade, encarar qualquer parada pra ver o outro feliz. Só um amigo verdadeiro aceita discutir medicina, álgebra, política e economia na mesma roda, Só um amigo verdadeiro compreende as suas necessidades, anseios, medos sem jamais julgá-lo mesmo o quão contrário possa ser sua opinião. Só um amigo verdadeiro suporta sua felicidade, sua tristeza, sua vitória e suas dificuldades. Só um amigo verdadeiro cede sua vida ao outro sem esperar nada em troca. A amizade é isso, se doar ao outro genuinamente, com os ônus e bônus, de corpo e alma, razão e emoção. Não é dar a mão nem o ombro, é abraçar com o coração.

sábado, 18 de outubro de 2014

Zona de Conforto

Termo muito utilizado no mundo corporativo, tão temido em todos os mundos.
A maioria teme sair da zona de conforto. Outros temem ficar nela.
No mundo corporativo as pessoas associam a zona de conforto a estabilidade, segurança na carreira, pensam que se encontraram naquela função e atingiram o ápice de seu desempenho. Tremem na base sob qualquer possibilidade de terem a zona alterada, tem medo de sairem da caixa, pensarem fora do quadrado, medo da mudança.
No mundo pessoal é grande a quantidade de pessoas que não veem qualquer chance de sair do conforto, da rotina, do amanha que será igual hoje e que foi igual ontem. Todo dia é mais do mesmo. Acreditam que estão ganhando tempo quando na verdade estão perdendo vida.
A outros a mudança atrai. Como espectador ou como agente dela. Se o bom da vida é o equilibrio, não devemos temer nem sermos atraídos pela mudança, mas simplesmente encará-la.
Encarar como oportunidade. Encarar como uma nova chance.
Encarar como um novo caminho.Não ter dificuldade em se adaptar a novos cenários, mesmo que não goste deles.
Se alguma coisa não identificada te incomoda, mude os móveis de lugar, mude os itens no armário, mude qualquer mínima coisa.
Até que a mudança se manifesta em você, e aí não é preciso mudar mais nada.
Não se obrigue a mudar nada, mas se preciso for, mude enquanto há tempo.